O bom sexo é bom para relacionamentos

Meus colegas de psicologia evolutiva têm um fascínio pelo que chamam carinhosamente de "acoplamento humano". Obviamente, o sexo e a sexualidade são uma parte importante da experiência humana, e é importante ter uma estrutura teórica para tentar entender as diferenças sexuais nas estratégias sexuais. Além disso, se as manchetes espirraram em capas de revistas de supermercados, todos nós gostamos de ler sobre sexo, por isso faz uma boa leitura.

Infelizmente, muitas abordagens evolutivas tomam uma visão bastante estreita da sexualidade, começando pelo papel do sexo na reprodução. Esta discussão precisa ser ampliada.

Para fazer a caricatura da abordagem psicológica evolutiva do acasalamento humano, esses pontos de vista assumem que os animais com concepção interna (como os seres humanos) exigem um maior investimento parental da mulher do que pelo masculino. Assim, os machos devem ser propensos a se acasalar com muitas fêmeas para tentar maximizar a probabilidade de concepção. Como a concepção é interna, existe uma incerteza de paternidade, de modo que as fêmeas devem tentar obter os melhores genes possíveis para a sua prole futura, mas também tentar obter recursos dos machos para apoiar os fígados.

Infelizmente, essa abordagem é perdida por muitos comportamentos humanos. Muitas pessoas ficam casadas por um longo período de tempo. Casais que são os mais felizes tendem a ser aqueles com as melhores vidas sexuais. As pessoas continuam a fazer sexo muito depois de serem capazes de conceber crianças.

Um estudo interessante na edição de novembro de 2008 de Psychological Science de Christian Unkelbach, Adam Guastella e Joseph Forgas ajuda a iluminar um aspecto da sexualidade que é subestimado em muitas discussões de sexo que saem da psicologia evolutiva.

Eles fizeram um estudo sobre um grupo de homens que receberam uma dose de oxitocina ou um placebo. A oxitocina é um produto químico que é liberado em homens e mulheres durante o orgasmo. Ele também desempenha outros papéis, mas vamos nos concentrar nisso por enquanto.

Os homens neste estudo receberam então um teste de reconhecimento de palavras positivas e negativas relacionadas ao sexo, relacionamentos, outras emoções positivas e palavras não relacionadas à emoção positiva. Este teste de reconhecimento foi configurado para determinar o grau de acessibilidade das palavras. Como lembre os leitores freqüentes deste blog, conceitos mais acessíveis tendem a influenciar mais fortemente o comportamento do que os conceitos menos acessíveis.

Este estudo observou que a oxitocina fez palavras positivas relacionadas ao sexo e relações mais acessíveis em relação à condição de placebo. Outras palavras (incluindo palavras para emoções positivas) não foram influenciadas. Este achado sugere que a liberação de oxitocina tornará mais fácil para os homens atuarem de maneira positiva e amorosa em relação aos parceiros sexuais. Este estudo foi feito apenas com homens, mas tipos semelhantes de resultados foram obtidos com mulheres também.

Portanto, é importante reconhecer que o sexo desempenha um papel importante no fortalecimento das relações de uma maneira que ultrapassa a mera procriação. Para ser claro, não estou dizendo que os princípios que os psicólogos evolucionários usam estão todos errados, apenas que a discussão precisa ser ampliada.

Related of "O bom sexo é bom para relacionamentos"