Os benefícios de atrasar a gratificação

Você está evitando a dor ou vivendo com propósito?

Pexels photo

Fonte: foto Pexels

Do jeito que eu vejo, existem dois caminhos que podemos tomar em qualquer situação: um é o caminho de evitar a dor no momento, e o outro é o caminho mais difícil de retardar o prazer para um propósito maior. Nossas normas culturais nos encorajam a procurar soluções de band-aid e confortos temporários – basicamente, o que for preciso para aliviar nosso desconforto agora. Isso é evidente na prevalência de cassinos, comerciais de medicamentos psiquiátricos e enriquecimento rápido de esquemas em nossa cultura. Algumas pessoas não veem o valor de ter paciência durante os momentos difíceis ou de trabalhar em direção a um objetivo; eles querem perder o peso agora e preferem comprar o celular mais moderno do que economizar para a aposentadoria. Muitas vezes fazemos escolhas de vida de acordo com a forma como podemos evitar a dor no momento e, ao fazê-lo, deixamos de ver que o caminho da gratificação tardia é, por vezes, onde estão as soluções reais para os nossos problemas.

Princípio do prazer

Há um termo na psicanálise freudiana conhecido como princípio do prazer, que é a busca instintiva de prazer e de evitar a dor para satisfazer necessidades biológicas e psicológicas. De acordo com Freud, o princípio do prazer é a força motriz que guia o id, a parte mais básica de nós mesmos. Freud comparou o princípio do prazer ao conceito do princípio da realidade, o que explica a capacidade de retardar a gratificação quando uma situação não exige gratificação imediata. Seja economizando para a futura casa dos sonhos, escolhendo um estilo de vida saudável para se manter saudável à medida que envelhece, ou assumindo um trabalho difícil para ajudar a impulsionar sua carreira a longo prazo, a gratificação atrasada pode gerar retornos tremendos ao mesmo tempo em que ajuda a desenvolver uma tolerância por esperar. De acordo com Freud, o id regula o comportamento de bebês e crianças apenas satisfazendo o princípio do prazer; não há pensamento à frente para o propósito maior. As crianças buscam gratificação imediata, com o objetivo de satisfazer os desejos, como fome e sede, e buscar o que quiserem no momento para aliviar seu desconforto.

O prazer é fundamental para nossa sobrevivência. Precisamos de coisas como comida, água e sexo para sobreviver e passar nosso material genético para a próxima geração. No entanto, à medida que envelhecemos e amadurecemos, precisamos aprender a tolerar o desconforto da gratificação tardia se tivermos um objetivo ou objetivo maior em mente. Ao contrário de bebês e crianças pequenas, os adultos são caracterizados por sua capacidade de retardar a gratificação e tolerar o trabalho árduo, a disciplina e o desagrado ocasional, a fim de cumprir responsabilidades e alcançar metas. Adultos maduros não esperam que os outros atendam às suas necessidades. Eles entendem e aceitam que nem sempre serão gratificados.

Independentemente do que nossos estágios de desenvolvimento ditam, a maioria dos adultos tem uma relação complicada com o prazer. Gastamos tempo e dinheiro consideráveis ​​buscando prazer agora, em vez de atrasar a gratificação por uma recompensa maior depois. É complicado, porque certos tipos de prazer recebem status especial, como usar a última moda ou dirigir um carro de edição limitada. Alguns de nossos rituais mais importantes – como orar, ouvir música, dançar e meditar – produzem uma espécie de prazer transcendente que se tornou parte de nossa cultura. Desta forma, sentir-se bem no termo imediato não é uma coisa tão ruim. Isso nos proporcionou uma oportunidade de sobreviver e experimentar algum alívio do nosso estresse.

Mas o que acontece quando você quer ser instantaneamente satisfeito em todas as áreas da sua vida? O que acontece quando você só evita a dor? O que resulta da necessidade de ter o carro mais novo e mais caro, mesmo que você esteja em dívida de cartão de crédito horrível? Viver para um propósito torna-se impossível nesse ponto, porque uma vida que evita a dor não resulta em metas atingidas. Pode ser uma vida mais fácil a curto prazo, mas não será necessariamente uma vida melhor a longo prazo. Quando vivemos em busca de prazer imediato – precisando ter o mais novo gadget ou acessórios no momento em que eles estão disponíveis, ou querendo o emprego perfeito sem ter uma educação ou trabalhando da base – nos tornamos como crianças de novo, completamente incapaz de retardar a gratificação.

Pexels Photo

Fonte: Pexels Photo

Benefícios da gratificação atrasada

Estudos mostram que a gratificação atrasada é uma das características pessoais mais eficazes das pessoas bem sucedidas. As pessoas que aprendem a administrar sua necessidade de estar satisfeitas no momento prosperam mais em suas carreiras, relacionamentos, saúde e finanças do que as pessoas que cedem a ela. Ser capaz de retardar a satisfação não é a habilidade mais fácil de adquirir. Envolve sentir-se insatisfeito, e é por isso que parece impossível para as pessoas que não aprenderam a controlar seus impulsos. Escolher ter algo agora pode ser bom, mas fazer o esforço para ter disciplina e gerenciar seus impulsos pode resultar em recompensas maiores ou melhores no futuro. Com o tempo, atrasar a gratificação irá melhorar o seu autocontrole e, finalmente, ajudá-lo a alcançar seus objetivos de longo prazo mais rapidamente.

Um estudo bem conhecido realizado na Universidade de Stanford na década de 1960 explica muito sobre por que é benéfico adiar a gratificação. No estudo, as crianças foram colocadas em uma sala com um marshmallow em um prato. O pesquisador principal deu às crianças uma instrução fácil: você pode comer o marshmallow agora, ou esperar 15 minutos e receber dois marshmallows. Os pesquisadores descobriram que as crianças que foram capazes de esperar pelo segundo marshmallow sem comer o primeiro tiveram pontuação mais alta nos testes padronizados, tiveram melhor saúde e foram menos propensas a ter problemas de comportamento.

Considere os resultados deste estudo e pense sobre você e suas ações. Você é capaz de esperar por coisas que realmente deseja, mesmo que isso envolva sacrificar o prazer e a satisfação agora? Você toma decisões com base no seu propósito de vida ou no que é bom agora? Você às vezes desiste cedo demais? Você consegue pensar em um momento em que realizou uma tarefa difícil? Como você se sentiu em relação a si mesmo? Quais foram os resultados da espera?

A tolerância que você exibe ao esperar por algo que você quer diz muito sobre você. Se houver algo que você queira comprar, você economizará agora para pagar com dinheiro mais tarde ou pagar com cartão de crédito agora e pagar de volta mais tarde? Se você começou a escola ou possui seu próprio negócio e não está vendo as recompensas ainda, você vai continuar ou desistir quando as coisas ficam difíceis? Pense nisso: as coisas da vida que nos trazem gratificação imediata, como comida, drogas, jogos de azar, sexo, gritar de raiva ou usar nossos cartões de crédito, não necessariamente trazem o melhor de nós. Eles apenas aliviam nosso desconforto no momento.

Pensamentos finais

Adiar a gratificação não é um conceito novo. Em 300 aC, Aristóteles viu que a razão pela qual tantas pessoas estavam infelizes era que elas confundiam prazer com a verdadeira felicidade. A verdadeira felicidade, segundo Aristóteles, é desenvolver hábitos e cercar-se de pessoas que cultivam sua alma. Isso permite que você se mova em direção ao seu maior potencial. A verdadeira felicidade implica atrasar o prazer, pôr tempo, disciplina e paciência em vez de se sentir bem agora. Uma vida de propósito, alinhada com a busca da verdadeira felicidade, cria alegria real. Ele mantém seu medidor de felicidade bastante estável durante toda a sua vida. Então, qual caminho você gostaria de fazer?

Related of "Os benefícios de atrasar a gratificação"