Rituais de 11 maneiras nos ajudam a celebrar nossas vidas

Ao criar e realizar rituais expressivos pessoalmente para nós mesmos, nos movemos livremente para nossas próprias vidas espirituais, assumindo o comando da marcação e honrando as transições, os momentos especiais em nossas vidas que consideramos significativos, da maneira que consideramos significativa. Os rituais são ferramentas que nos dão a liberdade de assumir a responsabilidade pela direção e propósito de nossas vidas. Nossa tarefa é aproveitar e moldar essa liberdade – conscientemente, deliberadamente e com alegria.

O ritual tem suas raízes na religião, e as passagens fundamentais da vida são muitas vezes tradicionalmente acompanhadas por um ritual religioso. Mas as ótimas passagens da vida são, por natureza, espirituais. Eles afirmam mistério humano e mutabilidade, nossa conexão com o universal. Os rituais servem como uma ponte entre nossos mundos exterior e interior, entre o profano e o sagrado, e entre o ordinário e o extraordinário.

Os rituais nos proporcionam uma sensação de pertença. Quando nos envolvemos no processo ritual, estamos, em essência, conectados ao "tempo original". Os rituais despertam o que é eterno dentro de nós e nos mostram como nossas vidas individuais fazem parte de um design muito mais grandioso.

Rituais nos conectam com a natureza e as estações. As transições em curso que ocorrem na natureza fornecem o protótipo de mudança. Observando as mudanças e mudanças constantes na natureza, reconhecemos nossos próprios ciclos de vida, nossos próprios ritmos como seres humanos. Rituais nos lembram da interconectividade de toda a vida.

Os rituais nos proporcionam uma sensação de renovação. Eles nos oferecem um tempo limite de nossa rotina diária, existência habitual. Metafóricamente, os rituais são oásis, um tempo para descansar, reabastecer e restaurar o nosso caminho longo e sinuoso através da vida. Os rituais nos ajudam a reavaliar nossa jornada até o momento e a reafirmar que o caminho que estamos viajando é o ideal para nós.

Os rituais fornecem uma maneira contínua de estruturar nossas vidas. O processo ritual proporciona uma sensação de estabilidade e continuidade em meio ao mundo sempre em mudança, agitado e muitas vezes caótico em que vivemos. Os rituais geram uma sensação de calma de cura e um sentimento de confiança no fluxo da vida e no movimento para a frente.

Os rituais nos dão uma maneira de se conectar à família, o passado e o presente. Rituais nos unem a nossos ancestrais e a nossa herança. Sua criação e desempenho nos ajudam a entender de onde viemos. Como uma ponte entre passado e futuro, eles nos permitem acessar, honrar e fortalecer nossa própria identidade.

Os rituais nos eliminam do fluxo ordinário da vida e nos colocam no espaço sagrado. Está fora do reino do espaço e do tempo comuns que os rituais criam sua magia através da linguagem misteriosa e mística da reconstituição simbólica.

Os rituais nos ajudam a acessar nosso eu autêntico através de sua capacidade de nos levar a níveis mais profundos de consciência. Ao envolver todos os nossos sentidos através do uso de elementos rituais inerentes ao processo ritual, somos capazes de ignorar o intelecto em favor de nosso conhecimento intuitivo e instintivo. Os rituais nos ajudam a equilibrar o trabalho de nossas vidas externas e internas e permitem a plena expressão de nossa alma e espírito.

Os rituais fornecem as ferramentas essenciais para co-criar nossas próprias vidas. Criando e realizando rituais que são pessoalmente significativos para nós, nos ajudam como criações em evolução para definir a intenção exata que, em última instância, nos permitirá manifestar e atingir as metas e aspirações desejadas.

Os rituais dão sentido a nossas jornadas e um senso de propósito para nossas vidas. Enquanto a criação e o desempenho dos rituais nos preparam para os próximos estágios da vida, a prática sucessiva e cumulativa dos rituais ao longo do tempo tem o poder de finalmente nos transformar.

Rituais que marcam "ritos de passagem" – primeiros momentos de mudança de transição – nos ajudam a "conectar os pontos". Eles nos ajudam a encontrar e definir os padrões e ciclos em nossas vidas individuais que, de outra forma, poderiam parecer acontecimentos aleatórios, se vistos separadamente.

  • Fato e Fé: Combatentes ou Colaboradores?
  • Como falar com as crianças sobre o terrorismo
  • Como obter um bom trabalho
  • Quando o Trauma não termina
  • A revolução que vem na pesquisa de sonhos
  • O Super Bowl, os ateus e a intervenção divina nos esportes
  • Como definir objetivos de recuperação pessoal alcançáveis
  • Crescendo Antigo em Culturas Antigas
  • Como podemos ajudar vítimas de abuso clerical?
  • Barreiras para Intimidade e Confiança IX: Perdão, Finalmente
  • O suicídio é um problema muito maior do que o assassinato
  • One Filosopher's Daily Grind
  • O poder do propósito e significado na vida
  • Terminais Graciosos e Conexões Expandidas: Resiliência Parte 3
  • Uma substituição para a religião
  • O medo e o fabuloso
  • Os sonhos de um membro do culto religioso
  • O que meu filho me ensinou sobre autismo e parentalidade
  • Como um estudioso de religião pode entender a imagem do corpo das mulheres e problemas de alimentação?
  • Formas práticas de ensinar valores aos seus filhos
  • "Advogados cristãos": destruir a América para "salvar"
  • Mais de 50 anos de idade: 10 piadas de férias!
  • Meninos adolescentes e tomada de decisões sexuais: um papel expansivo para o sexo consensual mutuamente satisfatório
  • A espiritualidade é irracional?
  • Especial de Ação de Graças: por que dar um agradecimento?
  • Você pode me amar para sempre querido?
  • Juntos Ainda Divididos
  • Gerenciando divórcio e crianças durante os feriados
  • O Menino mais legal no Block-Christmas Tree e Hanukkah Bush!
  • O mundo impróprio
  • A tragédia da suposição de forrageamento
  • Reconheça suas condições de valor
  • A morte de um infante
  • A espiritualidade é irracional?
  • A cultura suicida do auto-odio.
  • Online, muitas opções de namoro diminuem o compromisso